19 setembro 2011

Curso de Violão e Guitarra - Sweep Picking - Parte 2

2º) Agora envolvemos as duas partes do exercício anterior, siga as mesmas instruções.

       ^ ^ ^ ^ ^ ^ v v v v v   ^ ^ ^ ^ ^ ^ v v v v v  ^ ^ ^
  e:|------------8-----------------------9-----------------|
  B:|----------5---5-------------------6---6---------------|
  G:|--------7-------7---------------8-------8-------------|
  D:|------5-----------5-----------6-----------6----------.|
  A:|----7---------------7-------8---------------8------9--|
  E:|--5-------------------5---6-------------------6--7----|

Di:    1 3 1 3 1 4 1 3 1 3 1   1 3 1 3 1 4 1 3 1 3 1  1 3   




3º) Cordas Soltas exercício para treinar a coordenação da mão direita.


a) Descendo as cordas

     e:|--------------------------------/^-v-^----|
  B:|--------------------------/^-v-^----------|
  G:|--------------------/^-v-^----------------|
  D:|--------------/^-v-^----------------------|
  A:|--------/^-v-^----------------------------|
  E:|---^-v-^----------------------------------|



b) subindo as cordas

     e:|---v-^-v----------------------------------|
  B:|--------\v-^-v----------------------------|
  G:|--------------\v-^-v----------------------|
  D:|--------------------\v-^-v----------------|
  A:|--------------------------\v-^-v----------|
  E:|--------------------------------\v-^-v----|


  Obs.: (^) palhetadas para baixo e (v) palhetadas para cima o traço (/)  foi colocado para representar onde a palheta deve ser escorregada, note que temos uma economia de movimentos ao passar de uma corda  para outra, obtendo assim mais velocidade.

16 setembro 2011

Curso de Violão e Guitarra - Sweep Picking

Para quem já ouviu por curiosidade falar em sweep picking, e não tem idéia do que se trata, poderá ter um primeiro contato com a técnica na definição que será dada aqui. Tocar em sweep picking não é o mesmo que tocar com  palheta estritamente alternada ("alternante picking"). Porém, ao se utilizar o sweep, parte da técnica como um todo deverá se recorrer à palhetada  alternada. Atualmente qualquer guitarrista deverá utilizar bem tanto o sweep quanto a palhetada, porque cada situação em particular funciona melhor com uma ou outra técnica.
Há referências ao sweep desde a década de 60, mas quem realmente sofisticou e desenvolveu a técnica nos moldes atuais foi Frank Grambale. Com o sweep, obtemos mais fluência e alcançamos uma boa velocidade com muito menos tempo de treinamento do que o que seria necessário com palhetada alternada (e  outras só com sweep).
Muito bem, as principais leis que regem o sweep picking são:
 1) Para as notas na mesma corda, usa-se palhetadas estritamente alternadas.
 2) Ao mudar de corda, se estiver passando à corda imediatamente abaixo, a  palhetada deverá ser também para baixo, independente da última palhetada dada. Caso esteja mudando para a corda acima, a palhetada deverá ser  também para cima independente da direção da última palhetada.  
 3) Ao mudar de uma corda, para a que se encontra imediatamente acima ou abaixo, se a palhetada anterior coincidir com a palhetada na nova corda (duas para baixo ou para cima consecutivas). a palhetada deverá ser escorregada ou deslizada.

Sweep Picking Exercícios básicos (Parte 01)
1º) Pequenos riffs com a máxima economia de movimentos.
Abaixo temos dois exercícios de arpejos, parece simples mas tem que ser executado com rapidez, comece lentamente com as 2 primeiras notas, repita até ficar bem condicionado e com velocidade, vá adicionando as demais notas uma a uma e repetindo. Siga deste modo até o fim do exercício.
a) Arpejos para baixo (descendo uma escala)


       ^ ^ ^ ^ ^ ^  ^ ^ ^ ^ ^ ^  ^ ^ ^ ^ ^ ^  ^ ^ ^      
  e:|------------8------------9------------10-----------| /\
  B:|----------5------------6------------7--------------| ||
  G:|--------7------------8------------9----------------| ||
  D:|------5------------6------------7-----------...----| ||
  A:|----7------------8------------9-----------10-------| ||
  E:|--5------------6------------7------------8---------| ||

Di:    1 3 1 3 1 4  1 3 1 3 1 4  1 3 1 3 1 4  1 3

  Obs.: O sentido da paleta será sempre para baixo.


b) Arpejos para cima (subindo uma escala)

       v v v v v v v v v v v v  v v v v v v  v v v        
  e:|--8-----------9------------10-----------11---------| ||
  B:|----5-----------6------------7------------8--------| ||
  G:|------7-----------8------------9------------...----| ||
  D:|--------5-----------6------------7-----------------| ||
  A:|----------7-----------8------------9---------------| ||
  E:|------------5-----------6------------7-------------| \/

Di:    4 1 3 1 3 1 4 1 3 1 3 1  4 1 3 1 3 1  4 1

  Obs.: O sentido da palheta será sempre para cima, o objetivo destes  exercícios e desenvolver a habilidade de deslizar ou escorregar a paleta entre as cordas. Siga a digitação proposta e a forma correta de praticar.
   Legenda:


      ^ - Paletadas para baixo
      v - Paletadas para cima
     Di - Digitação da mão esquerda


10 setembro 2011

Curso de Violão e Guitarra - Dicas para instalação das cordas

1 - Esticar com os dedos as cordas após a afinação, é uma técnica para evitar que as cordas tenham que ser afinadas várias vezes.
2 - Ao instalar as cordas tome cuidado para não dobra-las, isto é muito comum acontecer.
3 - Soltar as cordas por igual, para evitar envergar o braço, o correto é soltar uma volta para cada tarracha.
4 - Evite o uso de cordas de aço em violões clássicos, alguns violões são projetados para cordas de náilon, e quando utilizamos cordas de aço nestes violões corremos o risco de empenamento do braço.
5 - Quando o instrumento não for utilizado por um longo período é aconselhável que as cordas sejam afrouxadas.
6 - Mantenha o violão longe do seu rosto e do rosto de outras pessoas enquanto o afina, as cordas quando arrebentam podem causar ferimentos.

05 setembro 2011

Curso de Violão e Guitarra - Técnicas

 Ligaduras (Legato)

É a ligação de som que aparece entre uma nota fixa e uma nota solta. Também conhecida como legato, é uma técnica amplamente empregada em aranjos e solos. Existem basicamente dois tipos de ligaduras: uma ascendente e outra descendente, conhecidas respectivamente como Hammer-on e Pull-of.

Hammer-on (h)

Consiste basicamente em tocar uma nota e fazer a outra soar sem auxílio da mão direita. A nota ligada será martelada com um dedo da mão esquerda. Esta nota que vai soar depois da primeira, vai estar sempre na mesma corda é em qualquer uma casa acima (ligadura ascendente).

Abaixo temos um exemplo de aplicação de hammer-ons feito sobre uma escala pentatônica.
   e:|--------------------8h10--12----------------|
   B:|--------------8h10---------------------------|
   G:|---------7h9---------------------------------|
   D:|---7h10--------------------------------------|
   A:|-----------------------------------------------|
   E:|-----------------------------------------------|
 
   Di:   1 4   1 3  2  4  2  4   4

Execução
Para executar o trecho acima, siga a digitação da mão esquerda representada por "Di". Toque a nota da corda (D) 7ª casa com o dedo 1, a nota da 10ª casa será obtida através de uma martelada com o dedo 4. A martelada deve ser feita sem soltar o dedo 1 da 7ª casa. Depois temos uma ligadura na corda (G) 7ª casa ligada com a 9ª casa, a martelada agora é feita com
o dedo 3. As outras ligaduras serão executadas da mesma forma.


Representação
Na tablatura acima temos quatro ligaduras do tipo "Hammer-on", representadas pela letra "h". Note que o primeiro número antes do "h" é sempre inferior ao segundo (ligadura para cima).
Em outras formas de representação em tablaturas, encontraremos as ligaduras representadas pelo símbolo (_) entre dois ou mais números. Neste formato não temos indicado o tipo de ligadura (hammer-on ou pull-of).

Abaixo temos outro exemplo de aplicação de hammer-ons feito sobre a escala maior de G.
   e:|--10_12--8_10--7_8--5_7--3_5--2_3_2_0--|
   B:|-------------------------------------------------|
   G:|-------------------------------------------------|
   D:|-------------------------------------------------|
   A:|-------------------------------------------------|
   E:|-------------------------------------------------|
   
   Di:   1  3  1  3  1 2  1 3  1 3  1 2 1 

Analisando o exemplo acima, nota-se no trecho final (2_3_2_0) um conjunto de ligaduras, onde (3_2_0) são descendentes (Pull-of).


Pull-of (p)
Pull-off é de certa forma o inverso de um hammer-on, consistem em soltar rapidamente uma nota fazendo com que a mesma soe solta ou apertada em um traste anterior, sem auxílio da mão direita. Esta nota que vai soar solta, vai estar sempre na mesma corda é em qualquer uma casa abaixo (ligadura descendente).

Neste exemplo temos a aplicação de pull-ofs feito sobre uma escala pentatônica.
   e:|---10p8--------------------------------------|
   B:|--------10p8---------------------------------|
   G:|-------------9p7------7----------------------|
   D:|------------------10--------------------------|
   A:|-----------------------------------------------|
   E:|-----------------------------------------------|
 
   Di:   4 2  4 2  3 1  4   1



Para executar o trecho acima siga a digitação da mão esquerda representada por "Di". Para executar (10p8) o dedo 2 da mão esquerda deve estar posicionado na 8ª casa, toque a nota da corda (e) 10ª casa (pressionada pelo dedo 4) é puxe soltando a nota com o mesmo dedo. O importante é sempre estar com o dedo da nota anterior posicionado.


Representação
Na tablatura acima temos três ligaduras do tipo "Pull-of", representadas pela letra "p". Note que o número antes do "p" é sempre superior (ligadura para baixo).