16 dezembro 2015

Curso de violão e guitarra - Fazendo palhetas para guitarra e violão em casa

http://www.artmaiashop.com

Poucos são os guitarristas que tocam sem palheta. Talvez até quem use palheta deixe de usar a mesma em uma música ou outra somente. Em alguns instrumentos nem tem como tocar sem palheta, como o cavaquinho. É bem verdade também que palhetas são baratas, mas e se fizéssemos as nossas? Dessa forma estaríamos reutilizando materiais que iriam parar no lixo fazendo bem ao nosso planeta. A proposta é criar as palhetas usando cartões de crédito e outros cartões plásticos mais finos. Existe uma ferramenta no mercado criada especificamente para cortar plásticos em formato de palhetas. Uma empresa de Indiana nos EUA criou o Pick Punch uma espécie de cortador de palhetas que se parece com um grampeador que corta superfícies duras como cartões de crédito, cartões de identificação e cartões de presente e os transforma em uma palheta.
Para fazer as palhetas vamos utilizar esse cortador de palhetas. Porém esse cortador não te dá a opção de escolher diferentes modelos de palheta. Todas as palhetas terão o mesmo lay-out conforme mostrado na imagem.

http://www.artmaiashop.com
  
O aparelho é bem legal. Feito completamente em metal, ele é bem robusto para conseguir cortar plásticos bem grossinhos como o cartão de crédito. Funciona tipo um grampeador. Você insere o plástico a ser cortado, pressiona a alavanca e pronto.

 http://www.artmaiashop.com

Se achar necessário, passe de leve a lixa em volta da palheta para dar aquele acabamento final. Se você quiser fazer palhetas mais profissionais procure na internet por folhas de celucóide. Existem folhas de diferentes espessuras. O único inconveniente é que essas folhas são grandes, cerca de 1 metro quadrado. Assim elas são meio caras (cerca de R$ 200,00). É claro que dá para fazer muitas palhetas… até para vender. O que acha?
O processo é super simples e o resultado é bem legal!


http://www.artmaiashop.com

25 novembro 2015

Curso de Violão e Guitarra - A técnica do dedilhado

http://www.artmaiashop.com
Com certeza, você já viu, ou até mesmo já tocou com palheta em um violão, ou o contrário dedilhou em uma guitarra. Pela semelhança de afinação, acordes, técnicas, etc, entre esses dois instrumentos, é muito comum à troca de idéias desse dois universos. Talvez um pouco disso venha da lenda de que para aprender guitarra primeiro você tem que aprender violão, assim, muitos guitarristas acabam transpondo certos conceitos utilizados no violão para a guitarra. 
Mesmo que você não tenha sido iludido pela tal lenda, é essencial que você como guitarrista, saiba dedilhar. Muitas músicas clássicas foram concebidas através de um dedilhado, como, por exemplo, Stairway to Heaven, do Led Zeppelin e Nothing Else Matters, do Metallica (top dos dedilhados), assim como outras que usam os dedos não para dedilhar, mas sim para criar uma levada diferente, para isso podemos citar More Than Words do Extreme ou então qualquer tema de Bossa Nova, MPB, etc.
A base de todo dedilhado é o desenvolvimento de independência de movimentos entre o polegar e os demais dedos da mão direita. Existem vários tipos avançados de dedilhados, mas aqui irei explicar apenas um dos mais simples e mais usados, que consiste em tocar os bordões, as cordas E, A e D com o polegar, e cada um dos dedos restantes, (com exceção do dedo mínimo, que é raramente usado) tocar uma corda, o indicador toca a 3ª corda (G), o médio a 2ª corda (B) e o anular a 1ª corda (E).
 Dependendo da situação, se houver necessidade o indicador pode a tocar a 4ª corda (D), o médio a 3ª corda (G), o anular a 2ª corda (B). 
A posição da mão deve ser sempre confortável, sendo uma das mais indicadas à mão em posição de concha, deixando os dedos apoiados sobres às cordas de maneira que os dedos não entrem muito entre elas.
Assim como a mão esquerda, os dedos da mão direita também recebem siglas: 

Polegar = P 
Indicador = I 
Médio = M 
Anular = A 


Essa nomenclatura nos ajuda a escrever um dedilhado, por exemplo: 

P 
I 
M 
A 
M 
I 
Ele indica que devemos tocar o polegar, depois o indicador, o médio, o anular, o médio e o indicador. E como se fosse uma batida, fecha-se um ciclo, mudando para outro acorde ou repetindo o anterior. 


Quando por exemplo, vermos duas ou mais letras juntas, devemos tocar as cordas respectivamente de cada dedo simultaneamente. 

P 
I - M - A 
P 
I 
M - A 
I 

Abaixo nós teremos alguns exercícios utilizando alguns dedilhados bem básicos.  Simbolizei a nota que o polegar deve tocar com um circulo negro e as 3 cordas para os dedos restantes com um semicírculo.


Exemplo 01


 Exemplo 02


Exemplo 03 

10 novembro 2015

Curso Completo de Violão e Guitarra - Versão 2016

http://www.artmaiashop.com


 APRENDA A TOCAR VIOLÃO E GUITARRA DE MODO RÁPIDO E SEM COMPLICAÇÕES, ESTUDANDO EM CASA NAS HORAS VAGAS!

 CURSO COM SUPORTE ONLINE, CARTEIRA DE ESTUDANTE E CERTIFICADO DE CONCLUSÃO


Você quer fazer um curso de violão e aprender rapidamente, mas não tem tempo para frequentar uma escola de música? Você procura um curso de guitarra sem aquelas teorias cansativas e que lhe ensine a tocar sem complicações? Então, você precisa conhecer o CURSO COMPLETO DE VIOLÃO E GUITARRA ARTMAIA, que é sucesso de vendas no Brasil e na Europa e está disponível em nosso site www.artmaiashop.com.

http://www.artmaiashop.com

O CURSO COMPLETO DE VIOLÃO E GUITARRA da ArtMaia é sem dúvida o maior e melhor material de estudos musicais já disponibilizados no Brasil. O Curso foi elaborado para oferecer todas as informações necessárias passo a passo para quem está iniciando, ou mesmo para quem já toca um pouco e quer aprimorar os seus conhecimentos. São aulas teóricas e práticas, explicadas através de textos leves e detalhados, fotos e gráficos coloridos exclusivos divididos em 10 livros digitais com mais de 850 páginas e você ainda conta com o suporte do PROFESSOR ON-LINE para esclarecer todas as suas dúvidas. Você estuda nas horas vagas, e no final do curso após enviar a sua avaliação geral receberá o CERTIFICADO DE CONCLUSÃO atestando que você concluiu os seus estudos com sucesso.
Adquirindo o CURSO COMPLETO DE VIOLÃO E GUITARRA você receberá o seguinte material de estudos juntamente com o manual do estudante:
CURSO DE VIOLÃO E GUITARRA (7 módulos em formato E-books com 370 páginas coloridas, com aulas teóricas e práticas, exercícios, testes e gabaritos para correção ) – Nível Básico
CURSO DE VIOLÃO (1 Módulo com 285 páginas coloridas, contendo todas as informações e aulas necessárias para você aprender a tocar rapidamente) – Nível Básico e Intermediário
CURSO PRÁTICO DE GUITARRA (1 módulo de Teoria e Pratica de Guitarra com exercícios para você se transformar em uma fera no assunto)
APOSTILA DE GUITARRA (Técnicas e exercicios de nível intermediário)
CURSO BÁSICO DE HARMONIZAÇÃO (Módulo Apostilado Digital - Nível Intermediário)
ESCALAS E MODOS GREGOS (Módulo de estudos teóricos e práticos com explicações detalhadas sobre as escalas musicais e modos gregos.)
COMO TIRAR MÚSICAS DE OUVIDO (Módulo Apostilado com explicações e dicas básicas)
MODOS GREGOS (Módulo apostilado com explicações e exemplos).
CURSO DE TEORIA MUSICAL (Apostila com explicações passo a passo)
APOSTILA TEÓRICA E PRÁTICA PARA VIOLÃO, GUITARRA, BAIXO, BATERIA E GAITA (Módulo apostilado contendo explicações teóricas e práticas)
APOSTILA DE VIOLÃO - NOÇÕES BÁSICAS (Apostila prática com explicações sobre ritmos, tablaturas, efeitos, acordes e outros assuntos que fazem parte do vocabulário básico de todo instrumentista).
TEORIA MUSICAL PARA INICIANTES (Módulo apostilado com explicações e exercicios)
O BÁSICO DA TEORIA MUSICAL (Apostila com os assuntos que você precisa saber para ler partituras).
PÁGINAS PARA EXERCÍCIOS E ANOTAÇÕES MUSICAIS (Vários modelos com tablaturas, partituras e acordes em branco para o aluno imprimir e utilizar em exercicios e anotações)
2000 TABLATURAS PARA EXERCICIOS 
VÍDEO AULAS SELECIONADAS (ÁREA VIP)
57 AULAS GRAVADAS COM EXPLICAÇÕES PASSO A PASSO
AFINADORES (2 Afinadores virtuais para você afinar o seu instrumento, utilizando o seu PC) 
LIVRO DE REPERTÓRIO MUSICAL
METRÔNOMO VIRTUAL 
DICIONÁRIO DE ACORDES
EDITOR DE TABLATURAS
EXERCÍCIOS MUSICAIS CIFRADOS
SENHA DO SUPORTE PROFESSOR ON-LINE
SENHA DO FÓRUM ÁREA VIP ARTMAIA
CARTEIRA DE ESTUDANTE
CERTIFICADO DE CONCLUSÃO
  Nossos alunos recebem também uma senha de acesso a exclusiva ÁREA VIP ARTMAIA, onde disponibilizamos um grande material de apoio aos estudos, como vídeos, exercícios, etc..

Veja abaixo o programa de aulas do curso:
O Principiante / O violão / A Guitarra / As cordas / O agudo e o grave / A mão direita / A mão esquerda / Exercícios / Escalas e notas musicais / Acordes / Cifras / O tom maior e o tom menor / Anatomia do Violão / Cuidados com o instrumento/ A postura / Técnicas da mão esquerda/ A palheta/ Como usar a palheta / Os acordes básicos / Tipos de palhetas/ Exercícios para a mão direita / Exercícios com palheta/ Exercícios para a mão esquerda/ Ritmos/ A Pestana/ Acordes com pestana /Efeitos eletrônicos / Anatomia da guitarra / Os captadores / Afinação / Solos práticos / Os tons e os semitons / localização das notas no braço do instrumento / Conceitos básicos sobre a música/ O acompanhamento/ O sustenido/ O bemol/ A escala diatônica/ A escala cromática/ Os ritmos mais usados/ Seqüências rítmicas/ Os graus da escala/ A teoria dos três acordes/ Tablaturas/ Os acordes na tablatura/ O dedilhado na tablatura/ As dúvidas mais comuns/ Como trocar as cordas/ Como melhorar a ação das cordas/ Escalas/ Entendendo as escalas maiores/ Construindo as escalas maiores/ Cromatismo/ Exercícios de cromagem / O mapa das notas/ Como obter notas oitavadas/ Transportando acordes com pestana/ Exercícios de prática de escalas/ A teoria da construção dos acordes/ Músicas cifradas/ Transporte de tonalidade/ Progressão de acordes/ Intervalos/ Classificação e análise dos intervalos/ Intervalos compostos/ Escala menor natural/ Tríades/ estudando a construção de tríades/ Padrões de dedilhados/ Seqüências dedilhadas/ Acordes relativos/ Notas enarmônicas/ Ritmos Brasileiros/ Trocando as cordas da Guitarra/ Técnicas de Solo/ Hammer-on/ Pull off/ Bend/ Slide/ Dicas, exercícios e tablaturas/ Curiosidades musicais/ O tom de uma música/ Os acordes principais de um tom/ Pequeno dicionário de acordes/ Padrões rítmicos/ Dedilhados e levadas/Tríades / Escalas / Campo Harmônico / Harmonização / Inversões / Digitações / Padrões Melódicos / Padrões rítmicos / Princípios de harmonia / Formação de Acordes / Acordes Dissonantes / Estilos musicais / Como tocar Intervalos / Como ler e entender as partituras / Exercícios e Dicas / Variações do bordão / Ritmos e acompanhamento / Técnicas instrumentais / Escalas Pentatônicas / Músicas e Tablaturas / Substituição de Acordes, Improvisos, etc…
Se você não sabe tocar Violão ou Guitarra, ou sabe muito pouco e quer aprender de verdade, através de um curso feito na medida certa para você, venha estudar conosco!O GRUPO ARTMAIA MUSIC, tem 14 anos de existência, com mais de 18.000 alunos cadastrados! Entre hoje mesmo para o maravilhoso mundo da música.


 Para adquirir o CURSO COMPLETO DE VIOLÃO E GUITARRA e começar a estudar ainda hoje, faça agora o seu pedido (Clique aqui) e pague através do Uol- PagSeguro com frete grátis para todo o Brasil. Para a sua comodidade, aceitamos todas as formas de pagamento: Depósito identificado, Boleto, Transferência e Cartão de Crédito, e oferecemos 10% de desconto para pagamentos via depósito bancário.

O Curso de Violão e Guitarra mais completo do Brasil, agora com preço promocional por poucos dias!  




29 setembro 2015

Diferentes tipos de cordas


   Os músicos profissionais colocam um novo jogo de cordas antes de cada apresentação ou gravação para garantir que o som fique o mais elaborado claro e também para reduzir o risco de quebras durante a música. Enquanto músicos amadores não precisam trocar as cordas com tanta freqüência, colocar um jogo novo de vez quem quando vai manter o som do seu violão ou sua guitarra no seu melhor.


Tipos de cordas.

   Diferentes tipos de violões e guitarras exigem diferentes tipos de cordas. Os violões clássicos e de flamenco têm cordas de nylon e delas vêm parte do seu som suave e percussivo. As cordas agudas são feitas de nylon puro, enquanto as cordas graves são cobertas com uma camada de prata em volta de um núcleo de nylon.
   Outros violões precisam de cordas de aço, que oferecem um som mais radiante e mais sustentado que as cordas de nylon. Essas guitarras acústicas usam uma mistura de cordas de aço inoxidável (para os agudos) e cordas de aço com bronze (para graves).
   As guitarras elétricas devem ser equipadas com cordas de aço para que seus captadores magnéticos funcionem.  As cordas para as guitarras elétricas costumam ser de calibre mais leve que aquelas para violões e podem ser feitas de aço puro ou aço coberto com uma camada de níquel: o revestimento aumenta a durabilidade ás custas de algum som agudo.      Você também pode encontrar cordas mais com rolamento suave, elas produzem menos ruídos, ás custas de uma resposta um pouco abafada nos agudos. Por isso, elas são apropriadas  principalmente para trabalho em estúdio e estilos de jazz. Todas as cordas de violão e guitarra, exceto aquelas para violão clássico e para guitarras de ponte flutuante, apresentam uma ponta redonda que permite fixar com segurança a extremidade de cada corda ao instrumento. 


28 setembro 2015

Curso Básico de Violão e Guitarra Apostilado


   O Curso de Violão e Guitarra nível básico ArtMaia, é dedicado aos iniciantes e todos aqueles que desejam aprender a tocar, e não possuem nenhum conhecimento musical. O curso básico está dividido em 7 módulos apostilados, coloridos, impressos e encadernados de estudos teóricos e práticos  acompanhados de 9 CDs didáticos, Vídeo-aulas selecionadas na área Vip, Suporte do Professor On-line, Acesso a área Vip, Carteira de Estudante e Certificado.
    Ao final de cada módulo o aluno deverá fazer um teste teórico para que seja avaliado o seu aproveitamento e, ao final do nível básico, no sétimo módulo, deverá fazer uma avaliação geral que será corrigida pelo professor e que dará direito ao Certificado de Conclusão do nível básico, sendo para isso necessário que o aluno atinja uma nota satisfatória.


CONHECENDO O CURSO BÁSICO DE VIOLÃO E GUITARRA

   Este curso é prático e teórico, dividido em 7 módulos de estudos com lições atraentes contendo um profundo e ensinamento destes dois instrumentos musicais. São aulas com informações importantes, ritmos, exercícios de técnicas, dicas, curiosidades e músicas para você desenvolver todo o seu potencial. Os assuntos são explicados através de textos descomplicados e objetivos, onde são utilizados, exemplos com fotos, desenhos e gráficos, o que torna o estudo interessante e agradável. Este curso é extremamente prático, e o aluno começa a tocar á partir da primeira aula, mesmo que nunca tenha estudado nada sobre Violão ou Guitarra em sua vida.
     O Curso de Violão e Guitarra Básico ArtMaia, conta ainda com o apoio de CDs didáticos, onde o professor reforça com explicações detalhadas todo o conteúdo dos módulos, dando ao aluno a mesma base teórica e prática que ele teria se tivesse um ótimo professor particular.
    Nossos  alunos  recebem também uma senha de acesso a exclusiva Área Vip ArtMaia, onde disponibilizamos um grande material de apoio aos estudos, como vídeos, exercícios, etc..


O curso conta ainda com o seguinte material de suporte aos estudos:

AFINADORES (Afinadores virtuais para você afinar o seu instrumento rapidamente utilizando o seu PC)
METRÔNOMO VIRTUAL
DICIONÁRIO DE ACORDES
EDITOR DE TABLATURAS
CURSO DE TEORIA MUSICAL
LIVRO DE REPERTÓRIO
2000 TABLATURAS  PARA EXERCICIOS
EXERCICIOS MUSICAIS CIFRADOS
PÁGINAS PARA EXERCÍCIOS E ANOTAÇÕES MUSICAIS (Vários modelos com tablaturas, partituras e acordes em branco  para o aluno imprimir e utilizar em exercícios e anotações)
                 Para acompanhar o aprendizado e analisar a evolução do aluno, periodicamente são realizadas avaliações teóricas e práticas e ao final do curso o aluno receberá sem nenhum custo adicional o  CERTIFICADO DE CONCLUSÃO,  atestando que concluiu com êxito o CURSO BÁSICO DE VIOLÃO E GUITARRA ARTMAIA


22 setembro 2015

Como são formados os acordes (Parte 01)


A música tocada no violão e na guitarra é amplamente baseada em acordes e progressões de acordes. Enquanto existem muitos acordes diferentes, alguns com nomes extremamente exóticos, a definição exata de acorde é simples: são três ou mais notas diferentes tocadas juntas. Mas, você às vezes irá encontrar “acordes” reduzidos, em que uma das três notas é omitida, essas combinações de duas notas podem manter a maior parte das características do acorde.
Os acordes são derivados das escalas utilizando o princípio de “amontoar as terças”. Isso significa que o acorde é feito escolhendo a escala maior e selecionando quaisquer três notas alternadas daquela escala. Os acordes derivados de qualquer escala são chamados de campo harmônico: os acordes resultantes, que podem ser maiores (felizes) ou menores (melancólicos), irão parecer “certos” quando tocados juntos em progressão. 

16 setembro 2015

Acordes com pestana


 Acordes com pestana são formas móveis, não contém cordas soltas, e podem ser tocados em qualquer lugar no braço do instrumento. Eles também são mais difíceis de tocar, pois o dedo indicador aplica uma pressão constante sobre cinco ou seis cordas. No entanto, uma vez que você domine essas posições, vai se sentir um guitarrista ou violonista profissional, e acordes como Bb e F# não vão mais derrotar você.
Acordes com pestana são geralmente mais fáceis de executar mais acima no braço; pratique-os onde seus dedos se sentirem mais confortáveis no início (a quinta casa é um bom ponto para começar). Por fim, não desanime se esses acordes não funcionarem imediatamente. Todo mundo acha essas posições complicadas, mas vai ser difícil conseguir que todas as cordas soem limpas e corretas antes que você adquira força nos dedos de sua mão esquerda.


DICA

Praticar com freqüência em períodos curtos é a melhor maneira de construir a sua técnica. Então, enquanto você estiver assistindo TV, você pode praticar alguns acordes com pestana durante os intervalos comerciais, por exemplo.

26 agosto 2015

Aprenda a tocar sem sair de casa, estudando nas horas vagas!


Você quer fazer um curso de violão e aprender rapidamente, mas não tem tempo para freqüentar uma escola de música? Você procura um curso de guitarra sem aquelas teorias cansativas e que lhe ensine a tocar sem complicações? Então, você precisa conhecer o CURSO COMPLETO DE VIOLÃO E GUITARRA ARTMAIA, que é sucesso no Brasil e na Europa e está disponível em nosso site. O curso conta com material de estudos exclusivo, suporte do professor on-line, carteira de estudante e Certificado de conclusão. Para maiores informações acesse: www.artmaiashop.com

04 agosto 2015

Tablatura

A tablatura é uma forma alternativa de ler e escrever música muito usada em instrumentos de traste, como por exemplo, guitarra, violão, contra-baixo, etc. Ela é representa por linhas onde cada linha representa uma corda do instrumento. No caso de uma guitarra com seis cordas, teremos seis linhas cada um representando uma corda, sendo que a linha superior é a 1ª corda “Mizinha” e a linha inferior a 6ª corda “Mizão”.

Ao contrário da partitura, que nos dá toda as informações necessárias para tocarmos uma música, a tablatura só nos mostra a casa onde a nota deve ser tocada. Para trabalharmos com esse tipo de notação, devemos conhecer a música para saber a estrutura rítmica e duração de cada nota.


Para resolver essas limitações, é comum encontrarmos tablaturas que nos dão vários elementos da notação musical padrão. Como ritmo, Formula de Compasso, etc. Um bom exemplo que utiliza essa linguagem de tablatura alternativa está na imagem abaixo retirada do programa Guitar Pro.

   

O ideal é unir a facilidade de leitura da tablatura com todo o resto que é utilizado na notação padrão. Assim teremos a escrita que será empregada durante a maioria do curso.

Smoke on the Water - Deep Purple

              

Nessa escrita temos na parte superior: a partitura, nos dando ritmo, formula de compasso, altura da nota, tonalidade da peça, etc e na parte inferior: a tablatura nos informando exatamente a casa onde devemos tocar a nota dada na partitura.

29 julho 2015

O Sistema de Notação Musical


 A partitura é o sistema de Notação Musical, mais completo e mais usual no meio musical. Ela permite que o músico possa tocar uma canção sem mesmo conhecê-la. Infelizmente, muitos guitarristas jamais aprendem a ler partitura, não que isso modificaria seu jeito de tocar, mas dá ao iniciante uma impressão errada, de que ler musica não vale o esforço. Aprender a ler e escrever música, só nos trás vantagens. Primeiro você pode escrever suas músicas de forma precisa e permanente, segundo transmitir suas idéias a outros músicos sem precisar tocá-las e terceiro, você pode tocar qualquer música ou exercício através da Partitura.
Esse sistema de notação musical é feito sobre uma pauta musical ou pentagrama (do grego: “Penta”= cinco; “Gama”= linhas ) , que nada mais é do que uma grade com cinco linhas e quatro espaços. Cada linha e cada espaço representam uma nota, sendo que quanto mais baixo esta escrita no Pentagrama mais grave é o som correspondente e quanto mais alta é a nota mais agudo é seu som. 

                                      

Quando uma nota for mais grave ou mais aguda do que os limites do pentagrama, acrescentamos linhas na parte superior e inferior do mesmo. Estas linhas e espaços são chamados de suplementares.
Claves

As claves são sinais colocados no inicio do pentagrama para dar nome às notas, indicando seu exato grau de entonação.
Existem três claves usadas, representadas por três figuras diferentes:

Ao todo existem uma clave de sol, quatro claves de dó e duas claves de fá, que diferem uma da outra, pela nota que dá nome à clave, dependendo em que linha a mesma está colocada. Uma partitura para guitarra é geralmente escrita com clave de Sol, mas podemos encontrar também algumas, escritas na clave Fá na quarta linha, por isso é mais interessante nos aprofundarmos mais nessas duas. 




Notas Musicais

As notas músicas musicais, já conhecemos. São sete: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si. E elas são representadas por símbolos que nos dão a exata altura dos sons, sendo que, são repetidas continuamente do grave para o agudo ou do agudo para o grave, divididas em séries, denominadas oitavas, que nada mais são do que o conjunto de notas existentes entre uma nota e sua repetição mais próxima.


 Nessa aula conhecemos um dos tipos de notação musical usado no nosso instrumento: a partitura, na próxima aula você conhecerá a tablatura, um método alternativo para se escrever e ler música, muito utilizado nos instrumentos com traste. 



14 julho 2015

Acordes simples


            Acorde é o conjunto de 3 notas, tocadas ao mesmo tempo ou dedilhadas. Os acordes simples de três notas são chamados tríades. Cada acorde fornece duas informações musicais importantes. A primeira informação é o tom, dado pela nota principal do acorde, identificado no dedilhado pelo “polegar no baixo”. É com base nela que o acorde é constituído. Em um acorde, essa nota é chamada tônica ou nota fundamental. A segunda informação é a harmonia, ou seja, o efeito produzido pela relação das outras notas do acorde com a tônica. É o próprio som do acorde, determinado pelos intervalos entre a tônica e as demais notas. Os acordes de 3 notas são classificados em:

- Perfeito Maior  = I, IIIM, VJ ( 1º grau, 3º grau maior, 5º justa )

- Perfeito Menor = I, IIIm, VJ( 1º grau, 3º grau menor, 5º justa )

03 junho 2015

Anatomia de um violão


   Os violões são a ferramenta perfeita para performances de composições e improvisos e os melhores exemplos têm uma ressonância e uma complexidade sonora que podem ser alcançadas por poucos instrumentos. Enquanto a maioria dos violões é feita em fábricas, há luthiers (fabricante de violões) em quase todos os países. Se você tiver a chance de experimentar um violão feito à mão, perceberá que ele tem uma riqueza extra de timbre do som que você não encontrará em muitos violões produzidos em fábrica. A atenção dada aos detalhes destes instrumentos tem um preço, mas, se você decidir investir em um, ele irá lhe servir satisfatoriamente para a vida toda. 


    Quando um violão é dedilhado, a vibração das cordas é transmitida da ponte (cavalete) ao tampo. A superfície ampla e flexível do tampo vibra junto com as cordas e faz o ar ao redor do violão movimentar-se, gerando o som. As outras partes do violão com caixa de ressonância também ajudam a projetar o som. Por este motivo, um violão tem mais volume do que uma guitarra desconectada (que tem corpo sólido e requer amplificação).


Construção

      O corpo do violão é essencialmente uma caixa oca. A parte de cima, ou o tampo, é feita de madeira forte e leve, normalmente é usada a Sitka Spruce para os violões de cordas de aço. Sua função é ressoar livremente e gerar som.

A parte de trás do violão e suas laterais curvas têm uma função diferente: em vez de serem leves e flexíveis, elas precisam proporcionar estrutura firme e projetar o som para o ouvinte. Por estes motivos, elas normalmente são feitas de madeira forte e densa, como jacarandá ou mogno. O braço do violão geralmente é preso ao corpo com um encaixe colado, apesar de alguns fabricantes preferirem um design aparafusado. Os braços de quase todos os violões modernos contêm uma haste fina, ajustável, de metal, conhecida tirante (truss rod). É usado para produzir uma forma ligeiramente curvada no braço que facilita o tocar.

25 maio 2015

Instalação de cordas de nylon no violão


        Fabricantes de violões e guitarras, muitas vezes aconselham que cordas novas sejam colocadas uma por vez no instrumento. A ideia é que retirar todas as cordas velhas de uma só vez reduz a tensão no braço do instrumento, podendo distorcê-lo.  Na realidade, isso é pouco provável. Talvez o mais importante seja soltar as cordas por igual, de forma que a tensão seja reduzida equilibradamente.
       Ás vezes, as cordas arrebentam ao serem instaladas, e o chicotear das pontas soltas pode ser perigoso. Por isso, deve-se manter o rosto afastado das cordas ao afiná-las, principalmente com cordas de aço.
       As cordas jamais devem ser afinadas mais de um tom acima do diapasão. Isso não apenas aumentaria a probabilidade de quebras, como também provocaria uma grande tensão no braço, que poderia se distorcer. Ao colocar as cordas no violão e na guitarra, é comum que ao se afinar a última, a primeira já tenha descido de tom. Cordas novas sempre levam alguns dias para se estabilizar, então permanecem aproximadamente afinadas.


COMO TROCAR AS CORDAS

Na tarraxa
 O método mais seguro para prender a corda no pino é deixar a sobra da corda ficar embaixo da parte que está sendo enrolada no pino. Isso é mais crítico nas cordas lisas.



 Instalação das cordas de nylon
  Cordas de nylon não têm bolinhas em suas extremidades. Assim são fixadas ao cavalete simplesmente com uma laçada. Os bordões, revestidos, geralmente apresentam uma parte aberta numa das extremidades. Essa extremidade é a que deve ser fixada ao cavalete. Existem vários métodos de fazer a laçada, mas em qualquer caso deve sobrar apenas uma ponta muito pequena da corda, no cavalete. Se a ponta for muito longa, poderá vibrar com o tampo.  Observe na figura abaixo, a maneira correta de prender as cordas de nylon no cavalete.



27 abril 2015

Dicas de estudos


Procure sempre um lugar calmo e quieto para estudar, e não use nenhum tipo de efeito em seu violão, durante seus aprendizados iniciais, pois, os efeitos podem mascarar seus erros.

Execute tudo bem devagar até que você decore as digitações, depois, vá aumentando a velocidade gradativamente até o seu limite. Se possível, utilize um metrônomo durante o estudo. Quando você errar, não continue do ponto onde parou, recomece o exercício desde o inicio sempre, isto garante que você supere o erro e fixe melhor todo o movimento. Nunca desanime, lembre-se, ninguém nasceu sabendo. 

Curso de Violão - Cordas de aço ou cordas de nylon?


 Se você ainda está iniciando, recomenda-se o uso de um violão que utilize cordas de nylon. Isso porque é um material, um pouco mais “suave” que o aço, o que reflete também em seus timbres, deixando o instrumento mais aveludado. O nylon estimula o desenvolvimento das técnicas de dedilhar, pois “cansa“ menos a mão, e costuma ser utilizado por músicos que tocam choro, MPB, erudito ou qualquer estilo que peça uma sonoridade menos estridente.

   Já as cordas de aço são recomendadas para aqueles que querem tocar estilos mais intensos, como rock, sertanejo e funk. Por serem mais grossas, normalmente são tocadas com palhetas, o que não impede que um violonista dedilhe, basta estar mais calejado. A manutenção dessas cordas costuma ser mais constante que as de nylon, também, por isso, dependendo do uso, elas devem ser trocadas mensalmente.

    Uma regra é fundamental para todos os tipos de violão: se você comprou um instrumento que use cordas de nylon, APENAS utilize esse tipo de corda. Cordas de aço estragariam facilmente o violão, por criarem uma tensão maior, empenando o braço do  violão.


24 março 2015

Aprenda a tocar violão e guitarra sem sair de casa, com material de estudos exclusivo!

Você quer aprender a tocar violão e guitarra em pouco tempo de modo rápido e sem complicações, e saber tudo o que é preciso para se tornar uma fera nesses instrumentos musicais e ainda contar com o suporte do Professor On-line para esclarecer todas as suas dúvidas, mas não tem tempo para freqüentar uma escola de música convencional? Se a sua resposta for afirmativa, você precisa conhecer o Grupo ArtMaia (www.artmaia.com) , que é especializado no ensino musical a distância. Com 12 anos de experiência formando talentos em todo o Brasil! Para conhecer nossos cursos acesse:


16 março 2015

Curso de Violão e Guitarra - Como manter o seu violão em perfeitas condições


   No artigo de hoje iremos ver algumas dicas e técnicas para manter o violão sempre em perfeitas condições. Você sabia, que certos costumes ajudam a preservar o seu violão e deixá-lo sempre em bom estado para uso? Você sabia também, que manter o violão afinado, além de ser obrigatório para o estudo (e bom para os ouvidos), mantém a estabilidade do mesmo? Seu violão pode durar anos e mais anos com muita qualidade só por causa disso!
   Por acaso você está se perguntando, o que a ver a afinação do meu violão, com o estado de conservação dele? E eu respondo: Tem tudo a ver, pois as cordas, quando fazem muita pressão sobre o braço do violão, aos poucos vão tirando-o de sua posição original, ou seja, a tensão das cordas pode literalmente entortar o braço de seu violão. Esse fenômeno é conhecido como “empenar”.
Fora essa dica, é fundamental você deixar sempre um pedaço de pano (serve uma camiseta velha de algodão) ao lado do seu instrumento, pois é sempre bom limpar as cordas durante um treino e outro. (todos os dias depois que você utilizar o seu violão, procure passar um pano nas cordas).
Mesmo que você não perceba a marca de suor nas cordas, passar um paninho nelas garante uma durabilidade muito maior, pois existem outros fatores que desgastam as cordas do seu violão, um deles pode ser a umidade.
Caso você tenha problemas de transpiração excessiva, esse processo deve ser feito várias vezes durante o estudo, alguns minutos de suor excessivo sobre o seu violão, podem causar danos no verniz e nas cordas, oxidação prematura.
Procure também sempre limpar bem as mãos antes de tocar, gordura, oleosidade e até mesmo pedacinhos de chocolate, consumido durante o almoço, podem se transformar em uma grande sujeira e, desta forma, alterar o som e a higiene do violão. Agora que você já tem uma noção melhor de como cuidar bem do seu violão, deixe-me falar sobre outros fatores que prejudicam e muito a vida útil do seu companheiro!

Temperatura e umidade


A madeira, por ser um material orgânico, tende a trabalhar de acordo com as variações de temperatura e umidade. Já que este último entrave não pode ser controlado, é preciso ficar atento a possíveis rachaduras que podem surgir por causa dessas mudanças. Isso é comum em violões construídos com jacarandá-da-bahia, pois é um material com estabilidade relativa, apesar de possuir excelente sonoridade.
Além disso, é necessário redobrar a atenção com as altas temperaturas. Elas podem trincar tampos e rachar laterais e fundos, além de empenar o braço do violão.

Transporte


Esta tarefa parece muito simples. Mas, se não for feita de maneira adequada, pode acarretar muitos problemas. O transporte mal executado, com batidas e chacoalhadas, danifica o instrumento. Por isso, se o proprietário não possuir nenhum bag (capa) ou case, a melhor maneira de carregá-lo é junto ao corpo. Assim, o violão fica em uma posição mais segura.

Concluindo


Memorizar todas as dicas desta aula não é uma tarefa difícil, sendo assim, você sempre deve ter consciência e responsabilidade que o investimento feito ao comprar o violão, não deve ser perdido com o passar do tempo.
O cuidado com o próprio instrumento, além de garantir que ele esteja sempre em boas condições de uso, mantendo a integridade física, a performance e afinação, garantirá maior durabilidade. Há diversos músicos que mantêm, em ótimo estado, instrumentos da década de 70, 60 e até mesmo 50.

Fonte: Guitar Classroom