11 julho 2008

ESCALAS E SOLOS - Parte 02



Ao aprender e praticar escalas , você deverá sempre tocá-las no maior número possível de posições e utilizando diferentes dedilhados. É preciso começar tocando devagar, e acelerar o andamento apenas quando se é capaz de fazer soar cada uma das notas com clareza. O maior recurso que um solista pode ter é saber tocar escalas diferentes, em posições diferentes, com dedilhados diferentes. A importância das escalas vai além da simples técnica. Elas aumentam a capacidade de "ouvir" acordes e ajudam a identificar a melhor opção para executar certos intervalos da escala. São esses elementos que desenvolvem a habilidade de criar melodias e improvisar linhas de solos originais, bem como transitar livremente entre os diferentes acordes de uma estrutura harmônica.
O Guitarrista Americano Al Di Meola enfatiza: "Aprendi a conhecer o braço da guitarra há muito tempo, praticando todas as escalas em todas as posições... É preciso aprender isso, não há como escapar. Agora troco de posições com tanta facilidade que nem preciso pensar muito... Eu sugeriria que se começasse aprendendo escalas maiores e menores, passando depois para diminutas, aumentadas e escalas de tons inteiros. A seguir, dependendo do tipo de música que se quer tocar, é preciso aprender os modos. Minha teoria a esse respeito é que se deve aprender tudo. Sabendo disso, você deverá tocar o que quiser, e obterá uma forma mais avançada de tocar e um conhecimento maior do instrumento".
(http://www.artmaia.com)

3 comentários:

gambling game lottery disse...

All I can say is nothing because your blog is not interesting to read.

Anônimo disse...

é claro que é interessante, veja as postagens anteriores, eu pelo menos gostei sim.

Anônimo disse...

é claro que é interessante, veja as postagens anteriores.