26 fevereiro 2006

ARTMAIA CURSOS ON-LINE - Aprenda a tocar sem sair de casa!

Se você quer aprender a tocar Violão e Guitarra, e não tem tempo para frequentar uma escola de música, não se preocupe! Agora você pode estudar em casa, no horário que quiser com apoio do Professor On-line e com um material exclusivo de estudo.
Para maiores informações acesse:
cursos na medida certa para o seu talento!


CURSO BÁSICO DE VIOLÃO E GUITARRA - Exercícios para mãos e punhos


Nesse capítulo faremos uma abordagem sobre um assunto bastante importante para dar elasticidade as suas mãos e ao mesmo tempo fazer com que elas fiquem relaxadas e não force tanto os nervos a fim de que possa vir futuramente a ter problemas musculares.
Muitas vezes, quem está começando agora e não tem experiência necessária pra dosar, acaba desistindo devido as fortes dores que as mãos e punhos sofrem com as pestanas e solos.
Então, fique ligado nessas dicas. Vamos a elas:
1. Abra as mãos e encoste as palmas em "posição de orar". Com os dedos juntos, flexione os punhos e comprima uma mão contra a outra (frente do peito).
2. Aperte dedo contra dedo, alongando-os
- polegar contra polegar- indicador contra indicador- médio contra médio- anular contra anular- mínimo contra mínimo.
Obs: este exercício pode ser feito com todos os dedos ao mesmo tempo.
3. Aperte o dedo polegar cotra o indicador e estique (mesma mão). Ainda com o polegar, faça o mesmo contra os dedos: médio, anular e mínimo.
4. Cruze dedo com dedo e puxe (gancho)
- polegar com polegar- indicador com indicador- médio com médio- anular com anular- mínimo com mínimo.
5. Cruze dedo com dedo em gancho, alternando-os.
Ex: polegar com médio, anular com mínimo
Obs: A variedade fica por conta de cada um
6. Feche bem a mão, como se estivesse segurando algo com força. Estique bem os dedos. (lembre-se: para um melhor resultado, cada exercício deve ser treinado rigorosamente.
7. Abra bem os dedos, afastando-os o máximo possível. Feche os dedos, apertando-os com a mão esticada (ligeiro apoi na mesa).
8. Faça "ondas" com os dedos.
9. Gire os punhos em círculo, com as mão soltas no sentido horário e anti-horário.
10. Balance as mãos.

25 fevereiro 2006

CURSO BÁSICO DE VIOLÃO E GUITARRA - A Escala Natural


A escala natural é a base usada para a formação de qualquer acorde, por isso devemos entende-las e saber usa-las.
A Escala Natural é formada de dois tetracordes (acordes de 4 notas) separados por um intervalo de um tom. Cada tetracorde possui os intervalos tom, tom, semiton.
Exemplo:
Usaremos a escala de C (Cifra de dó). Assim temos C - D E - F G – A - B C (lê-se dó ré mi fá sol lá si dó) que é a escala natural de C. Vejamos porque:

I___II ___III___IV___V___VI___VII___VIII --> grausC__D____E ___F____G___A ____B_____C --> notas __1___1___1/2 ___1____1____1_____1/2 --> intervalos
Assim temos o C, como o primeiro grau da escala e entre C e D (lê-se dó e ré) temos um intervalo de 1 tom (C C# D). Entre D e E, segundo e terceiro graus da escala, temos um intervalo de 1 tom (D D# E). Entre E e F, terceiro e quarto graus da escala temos um intervalo de 1/2 tom (1 semiton) (E F), pois E não possui # (sustenido). Entre o quarto e quinto graus da escala, de F para G, temos um intervalo de 1 tom separando o primeiro tetracorde do segundo.
Entre o quinto e sexto graus temos um intervalo de 1 tom (G G# A). Entre o sexto e sétimo grau temos um intervalo de 1 tom (A A# B).
E finalmente entre o sétimo e o oitavo graus temos o intervalo de 1/2 tom (1 semiton) (B C) pois o B não possui sustenido. Obs: Mi (E) e Si (B), ou seja, as notas terminadas em "i" não possuem sustenido.
Com isto temos que a fórmula para se construir uma Escala Natural é dois tetracordes de tom, tom, semiton separados por um intervalo de 1 tom.
É por isto que a escala de C não possui acidentes (sustenidos ou bemois), o que não acontece com outras escalas, que possuem os seus acidentes específicos.
Vejamos a escala de D:
I___II__III__IV___V__V__VII__ VIIID__E __F#__G___A__B__C# ___D__1___1__1/2__1___1___1___1/2
Entre E e F existe apenas 1 semiton, já que E não possui sustenido, por isso foi necessário acrescentar um sustenido em F para que a nossa fórmula se cumpra, ou seja o intervalo deve ser de 1 tom entre o segundo e terceiro graus da escala natural, portanto no caso desta escala específica temos ( E F F#) entre o segundo e terceiro graus da escala. Entre o terceiro e quarto graus temos um intervalo de 1 semiton, (F# G).
Entre o sexto e sétimo graus da escala temos um intervalo de 1 tom, por isto fomos obrigados a acrescentar um sustenido em C, assim temos (B C C#) entre o sexto e sétimo graus da escala de D.
Entre o sétimo grau e o oitavo temos apenas um semiton, ou seja, (C# D). Nota-se que o primeiro e o oitavo graus são a mesma nota, a diferença entre elas dá-se na altura do som, o oitavo grau está uma oitava acima do primeiro grau portanto mais aguda.
Descobrimos que a escala de D possui dois acidentes, um em F e outro em C e neste caso espcífico ambos são sustenidos.
Com estas informações você será capaz de construir todas as escalas naturais dos respectivos tons, prossiga, como exercício construindo as escalas de E F G A e B (e não se esqueça, lê-se, mi fa sol lá e sí). Descubra por você mesmo quantos acidentes existem em cada tonalidade, quais são (se bemois ou sustenidos), etc. Lembre-se que os acidentes são característicos das suas respectivas tonalidades, pode-se reconhecer uma escala pelo seu número de acidentes e quais são.
É importante frisar também que o primeiro grau é que dá nome a escala.

CURSO BÁSICO DE VIOLÃO E GUITARRA - A arte de solar

Ao contrário do que muitos pensam, solar exige muita técnica e um conhecimento profundo de escalas musicais, A maioria dos solos são compostos baseados em escalas musicais, fazendo as adaptações adequadas, por isso, nesta quero deixar a sua disposição as escalas mais conhecidas para lhe auxiliarem a melhor desenvolver um solo, e que além da guitarra é muito usado no violão e ainda pode ser feito no baixo, dependendo do modelo.
Obs.: A escala é executada da seguinte forma:

1. De baixo do braço para cima. 2. Da sexta corda para primeira. 3. Ou seja, faça todas as notas de uma corda de cada vez, assim: faça todas as notas da Sexta corda, depois da Quinta e assim por diante! No sentido de baixo para cima e volte pelo mesmo caminho !

Obs.: Você não é obrigado a seguir rigorosamente a escala, pode também tocar somente as notas que lhe convém e até pular de uma corda para outra, conforme você achar melhor !
Existem técnicas que quando executadas nos dão uma similação de efeitos sonoros, que podem ser usados para dar mais brilho e vida na música, os mais conhecidos são:

1. LICK quando se tira 2 ou mais notas de uma única palhetada. 2. BAND quando se faz uma nota em uma casa e puxa uma nota um tom mais alto puxando a corda. 3. BAND INVERSO quando se faz uma nota em uma casa com a corda já puxada, depois você deixará de esticá-la. 4. TWO-HAND deixar o indicador pressionando uma casa e fazer um revezamento com o anular da mesma mão e o dedo médio da mão direita, esse método é usado na guitarra e no baixo. 5. HARMÔNICO é executado nas 5a, 7a e 12a casas, encostando de leve o dedo na corda, nas casas já mencionadas. 6. SOLO é executado tocando apenas uma corda de cada vez, como na guitarra. 7. PIZZICATTO é muito semelhante ao harmônico, só que é feito em qualquer casa, encostando a mão direita de leve nas cordas, mas o som não é tão claro, OBS: esse é um arranjo de guitarra! 8. FEED BACK é um arranjo usado em guitarras, mas pode ser usado em alguns modelos de violão, segure a palheta de forma que quando você tocar o polegar direito toque de leve na corda para causar o efeito de grito! 9. SLIDE é feito a nota em uma casa e puxamos uma outra nota na mesma corda em uma casa diferente arrastando o dedo para cima. 10. SLIDE INVERSO é feito a nota em uma casa e puxamos uma outra nota na mesma corda em uma casa diferente arrastando o dedo para baixo. 11. LIGADO é feito em uma das cordas tocando uma nota qualquer, depois você irá tirar duas ou mais notas alternando os dedos sem palhetar o instrumento.

21 fevereiro 2006

APRENDA A TOCAR SEM SAIR DE CASA!

Olá Pessoal, Esta é uma dica para quem quer aprender a tocar, mas não tem tempo de frequentar uma escola de música convencional:
Oferecemos cursos de qualidade para adultos e crianças, através de módulos de estudos teóricos e práticos, Cds didáticos, Professor On-line, Carteira de estudante e Certificado de Conclusão. Você recebe todo o material na sua casa, e estuda nas horas vagas com o exclusivo SAVEM- Sistema audiovisual de ensino musical. Acesse www.artmaia.com e seja sócio do Club artmaia; você não paga nada por isso , participa de todas as nossas promoções e concorre a cursos de música, violões, guitarras, camisetas personalizadas etc... www.artmaia.com
Na medida certa para o seu talento!
Tel: (0xx11) 5667 6878

CURSO BÁSICO DE VIOLÃO E GUITARRA - Escalas


Esse é o capítulo que muitas pessoas, principalmente as mais experientes, aguardavam. Você pode achar estranho irmos entrando logo nesse assunto no início do curso, mas é que todo o bê-a-bá sobre Guitarra como posição das mãos, definições, postura, são semelhantes ao Violão. Portanto a dica que eu dou para aprendizagem da guitarra é que você faça também um estudo do Violão. E em nosso curso de Violão colocamos todo esse bê-a-bá detalhado.
Hoje em dia a maioria das pessoas que toca violão com certeza toca guitarra, principalmente aquelas que tocam violão elétrico e estão mais acostumadas com o som produzido. Portanto mãos à obra!
Escala nada mais é que uma seqüência de notas sucessivas, separadas por tons e semitons. Dependendo da forma que estão organizados estes intervalos, nós obteremos um modo maior ou menor.
Em geral precisamos das escalas para fazer um solo enquanto alguém em outro violão ou teclado ou qualquer instrumento harmônico faz ao mesmo tempo uma base, a harmonia.
É possível ainda solar fazendo junto a harmonia, o que dificulta um pouco mais a execução. É possível também solar e sugerir a harmonia apenas através do solo o que já é bem mais avançado. Mas o início de tudo é o estudo das escalas das quais a inicial tomaremos com dó maior. Lembra daquele som: do, ré, mi, fá, sol, lá, si, dó. Pois é, essa aí é a escala que vamos começar a treinar. Existem duas questões básicas neste estudo que são:
1) a execução da escala, ou seja saber o desenho dos dedos no braço do violão (que é um exercício físico, exige muita repetição)
2) o uso da escala, ou seja saber em que casos ou circunstâncias aquela escala deve ser usada (que é um exercício mental, precisa ser decifrado pelo menos uma vez).
Muito bem antes de mostrar o primeiro desenho da escala de dó maior, é importante que você saiba que vamos inicia-la na corda mais grave do violão que é o mi(6a corda) e não no dó, o que vai alterar o som da escala. Como assim? Se iniciassemos no dó o som seria esse que você já conhece, mas começando no mi a ordem está alterada apesar das notas serem as mesmas.
A Escala Maior é uma escala heptadiatônica.
· Hepta - Pois possui 7 notas
· Diatônica - Pois é uma sucessão de semitons.
· Portanto os intervalos da escala maior são:
Tônica 2° maior 3° maior 4° justa 5° justa 6° maior 7° maior
É comum também o uso da 8° justa, que nada mais é a repetição da tônica.
Entre os graus III e IV, VII e VIII (3°M e 4°J / 7°M e 8°J respectivamente) o intervalo é de um semitom. Entre os demais graus (ou notas) o intervalo é de um tom.
Ex.: Escala Maior C (dó)
DO – RE – MI – FA – SOL – LA – SI – DOT___2M_3M__4J___5J__6M__7M__8JI___II__III__IV___V___VI__VII__VIII
Reparem nos semitons entre III/IV e VII/VIII. (MI e FÁ - SI e DÓ)
Para entender melhor...
Tônica é a nota que dá tom à escala.
Tons: Os tons são as próprias notas musicais. Para facilitar quando, falarmos em acordes ou tons, usaremos o modo de grafia de notas dos países anglo-germânicas, onde são utilizadas letras do alfabeto:
C - Dó D - Ré E - Mi F - Fá G - Sol A - Lá B - Si
Então Escala de C = Escala Maior de Dó ou Escala de Dó Maior
Outras notações;
T - Tônica 2°M - segunda maior 4°J - quarta justa
Um outro exemplo: Escala Maior de Sol (G)
SOL – LA – SI – DO – RE – MI – FA# - SOL
T___2M_3M__4J___5J__6M__7M__8J
Dicas:
· Diga sempre os nomes das notas e o seu intervalo enquanto você digita a escala · Faça essas digitações em todos os outros tons, posi o "desenho" da escala é o mesmo, assim como os intervalos. · Inicie as duas primeiras digitações com o dedo 2, pois isso facilitará sua execução Lembre-se que na mão direita o movimento é alternado em cada nota tocada (indicador, médio, indicador, médio).
Escalas Maiores:
A- lá si dó# re mi fá# sol# láB- si dó# ré# mi fá# sol# lá# siD- ré mi fá# sol lá si dó# réE- mi fá# sol# lá si dó# ré# miF- fá sol lá sib dó ré mi fá

CURSO BÁSICO DE VIOLÃO E GUITARRA -Guia de Introdução ao estudo da guitarra


Introdução: O objetivo deste curso é fornecer aos iniciantes algumas dicas fundamentais para um bom começo com o instrumento. Se você já tem certa intimidade com a guitarra, por favor, tenha paciência que aos poucos vamos colocando aqui coisas mais aprofundadas. Iremos passar conteúdos para iniciantes até profissionais da área, portanto, paciência aos mais avançados quando for tratado assuntos básicos é fundamental!
Capítulo 1: Introdução à Música aplicada à guitarra Elétrica
I. Cordas da Guitarra
Conta-se as cordas da Guitarra de baixo para cima nesta ordem:
1ª - Mi
2ª - Si
3ª - Sol
4ª - Ré
5ª - Lá
6ª - Mi
II. Simbologia dos dedos da mão direita
p – Polegar
i– Indicador
m – Médio
a – Anular
Além dos dedos da mão direita, usamos a palheta (Com mais freqüência).
Inicialmente, o movimento da palheta tem de ser alternado, isto é, atacando a corda de baixo para cima e depois de cima para baixo.
Existem outros movimentos de palheta, tanto alternado quanto "Sweep", mas trataremos deste assunto mais adiante.
III. Simbologia dos dedos da mão esquerda
1 – Indicador
2 – Médio
3 – Anular
4 – Mínimo
O polegar da mão esquerda deve situar atrás do braço da guitarra como função apoio, mais ou menos a noventa graus em relação à base do braço, evitando aparecer em relação à pessoa que está assistindo à sua frente.

DICAS DE ESTUDO


Lembre-se sempre de que todo e qualquer contato que possa ter com o instrumento será válido, a intimidade que se ganha a cada dia é fundamental para um bom desenvolvimento. o Escolha um dia para dar uma geral em grande parte do que apren- deram. Como numa sequência, revise escalas, arpejos, acordes, padrões, etc...
o Estude sempre com o metrônomo, para ter a segurança do tempo de forma linear, trabalhando intensidade, duração, dinâmica, etc... Dessa forma, será mais fácil avaliar a evolução no instrumento e, com isso, reconhecer os pontos que precisam ser fortalecidos.
Duração
Quando houver um novo assunto, deve ser dada uma maior atenção para ele. Meia hora por dia com concentração será mais rico e proveitoso do que duas ou três horas dispersas. Como e quanto será absorvido do assunto vai sempre variar de pessoa para pessoa, mas a questão é a forma como é feito o estudo. É interessante dizer que todos os bons músicos que conheço estudaram assistindo à televisão. Como esclarecer isso?
Outro ponto importante a citar é a história de que "fulano estuda oito horas por dia!" Esse tipo de estudo, de longa duração, deve ser muito bem organizado. O cuidado com o corpo humano, a nossa máquina, é de suma importância. A atividade repetitiva pode gerar lesões graves, como a tão famosa inflamação nos tendões (tendinite).
Portanto:
1) Alongamentos nos braços e nos dedos antes, durante e depois dos estudos, são essenciais para o condicionamento e, assim, para um melhor aproveitamento do tempo. Caso contrário, você terá de interromper o aprendizado por causa do cansaço. Lembre-se: você é um atleta dos braços e dos dedos.
2) Planejar é importante. Alterne seus objetivos: rapidez, agilidade, tudo o que se refere a solos (escalas, arpejos, técnicas em geral), parte harmônica (acordes), ritmo e teoria.
3) Ouça de tudo. Escute tudo aquilo que possa contribuir para a sua formação como músico. É uma das melhores coisas a se fazer! Com esses cuidados, você irá planejar seu tempo e criar um ritmo próprio de estudo.
Amadurecimento
Acredito que no equilíbrio entre os objetivos por você desejado e o tempo dedicado para a conquista deles está a maturidade. Cada nota dada deve refletir a mais pura expressão da nossa vida, não apenas o resultado final de uma escala, mas sim ela toda em construção, da primeira à última nota. Por isso, o convívio diário com a música é fundamental.
"Você nunca recebe um desejo sem também receber a capacidade de torná-lo realidade" R. Bach

DICAS E AULAS DE VIOLÃO E GUITARRA


Olá meu nome é RAPHAEL MAIA, sou Cantor, Compositor, Músico, e Professor de Violão e Guitarra. Tenho mais de 20 anos de experiencia e prática musical. Sou o diretor do site www.artmaia.com que oferece cursos musicais on-line, para quem quer aprender a tocar mas não tem tempo para frequentar uma escola de música. No site www.artmaia.com você encontra diversos cursos de Violão e Guitarra á distancia; todos com o suporte do Professor On-line.
Nesse Blog pretendo oferecer dicas e aulas de Violão e Guitarra para todos aqueles que querem aprender a tocar esses maravilhosos instrumentos.
Um grande abraço a todos
RAPHAEL MAIA